domingo, 12 de fevereiro de 2012

Turismo Prazer e a Insegurança no Rio de Janeiro

Turismo é um negócio muito importante para um país, ou seja, é muito importante para a arrecadação de divisas, a movimentação do capital em um determinado país, além de beneficiar os pequenos comerciantes ou pequenos empreendedores. Estou no Rio de Janeiro, a cidade maravilhosa, como o slogan de marketing faz conhecer. Estou Há três dias e me faltam dois dias para voltar à Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, Estado onde efetuo meus estudos de doutorado.
Aqui no Rio me fascinei com a organização da cidade em prol de atração e acomodação dos turistas. Existem hotéis, pequenos e grandes, existem apartamentos de alocação temporária, igual ao que me encontro acomodado com a Simone e muito mais espaços e albergues que hospedam  turistas.
Um aspecto que gostaria de partilhar com os meus leitores é a existência de iluminação em quase toda orla marítima das praias de Copacabana, Ipanema, Botafogo até ao centro do Rio de Janeiro. Vi equipes da Prefeitura (Conselho Municipal) a limparem a sujeira da praia, ou seja, as algas que são jogadas fora pelas ondas, bem como o lixo, o pouco lixo deixado pelos poucos  banhistas desavisados  que se fazem presentes às praias. É prazeroso  caminhar pela areia da praia de Copacabana, Ipanema ou alguma praia paradisíaca da província de Inhambane, Gaza, Maputo-Província  sem  ter medo ou receio de pisar garrafas quebradas pelos banhistas, ou seja, pelos turistas que se fazem presentes às praias com intuito de beber, mijar e deixar espinhas de Magumba (espécie de peixe) ou quebrar garrafas de cerveja  nas areias das praias.
A elaboração de políticas que atraia pessoas  turistas  banhistas bem como a criação de condições de acomodação, higiene pública nas praias é de extrema importância para a arrecadação de  receitas em  um determinado  município, província Estado ou país  e certamente para a criação de mais condições sociais desse lugar ∕local.
Portanto, são tantas coisas que vi, fotografei  e filmei. Adoraria expor as imagens fotografadas, mas não posso. O motivo para não compartilhar as imagens desta minha estadia no Rio de Janeiro, a Cidade Maravilhosa  prende ao fato de ter sido roubado a Câmera fotografica cheia de imagens e vídeos lindos hoje mesmo, dia 11 de fevereiro de 2012 pela tarde no bloco Simpatia É Quase Amor (grupo musical e de dança carnavalesca) que desfilava no seu carro elétrico  na rua que divide a margem da praia de Ipanema e os edifícios residenciais do bairro Ipanema.  Sabem? Existe muita insegurança para um estrangeiro caminhar e desfrutar da benesses da natureza e as confecionadas pelas mãos e mentes criativas aqui no Rio e em Outros lugares do mundo. O estrangeiro é monitorado pari-passo pelas quadrilhas de ladrões. É bem melhor não abrir a boca quando está na rua, bem como não levar coisas valiosas para a rua, se bem que eu tinha no meu bolso a baixo da perna, apenas, a câmera fotográfica, identidade (RNE), R$ 30,00 e o cartão do banco e, mesmo assim fui roubado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário